Acessibilidade – pensando como quem necessita…

publicidade

Eu pensei que para esse meu primeiro post aqui no Boteco eu deveria falar sobre um assunto que interessa (ou pelo menos deveria) a todo designer, princialmente de produto, que é a questão da Acessibilidade.

Quando eu estava fazendo meu trabalho de graduação sobre Design Sustentável foi que eu entendi que para desenvolver um produto Acessível você tem que pensar como quem precisa dele. Sim, você deveria passar uma semana com um tampão no ouvido para entender o mundo de um deficiente visual, ou passar um mês numa cadeira de roda para começar a entender como vive um cadeirante, ou parar de falar por dois dias se você quer entender o que é ser mudo (ah, essa para mim seria impossível…). E daí, ao invés de imaginar adaptações para produtos já existentes, começar a criar produtos específicos para necessidades específicas.

Bom, deixando o blá, blá, blá de lado, eu queria comentar sobre esse “projetinho” aqui, do Kanguru, da empresa húngara Rehab, Rt. o primeiro automóvel criado inteiramente para cadeirantes:

O diferente sobre o Kanguru é que ele foi feito desde o princípio para o usuário de cadeira de rodas, de maneira que ele não tem que executar manobras complicadas para sair da cadeira de rodas e sentar-se no banco de um carro convencional. E ele pode estacionar em vagas para não-cadeirantes!

É uma coisa para pensar, não é? Se eu fosse cadeirante, ia querer ter um desses. E você?

Via BoingBoing

  • Thio

    Nossa!! Achei demais!! É tão legal que dá até vontade de ter um mesmo sem ser cadeirante.

    Quem sabe eu não passo uma semana com o tampão no ouvido para entender o mundo de um deficiente visual? Ou coloco uma venda nos olhos pra entender o mundo de um deficiente auditivo?

    Hmmm…

  • Tampão no ouvido tem a ver com deficiente visual? o_0

    Enfim, realmente: pra gente entender o nosso público-alvo, muitas vezes precisamos nos colocar no lugar deles. Eu já escrevi entitulado: “Testes Simples: Acessibilidade” no meu blog. Lá tem coisas como “Luvas térmicas – Procure usar estas luvas sem “dedos” para simular pessoas com deficiências motoras. Tente usar seu site através do teclado e do mouse com estes nas mãos.”

    O melhor jeito de entender como estas pessoas vão usar algo, é tentar ser essas pessoas.

    Abraços

  • Mari Ornelas

    Realmente,
    nós nunca saberemos como é estar no lugar de uma pessoa deficiente, mas podemos nos projetar… e assim tentar chegar a um melhor resultado.

    Acho que a ajuda de pessoas com deficiencia é essencial para que o produto fique o melhor possivel.

    gostei muito, o melhor que vi até agora, em termos de carros adaptados para deficientes. mesmo por que esse não foi adaptado, foi concebido desde o início para ser de um deficiente.

    muito bom!

    Bem vinda Thabata!

  • Pingback: acessibilidade.net - Boteco Design! » Blog Archive » Acessibilidade - pensando como …()