Poesia concreta ou Publicidade?

publicidade

Tá rolando uma discussão sobre as intervenções do grupo artístico BijaRi, que foram colocadas em pontos movimentados na capital paulista, se era apenas uma instalação ou se era apenas publicidade pra Natura… aí quero levantar essa discussão aqui também. Saber o que vocês acham sobre isso.

Bom, pra quem ainda não sabe ainda o que é, ta aí a foto (Nelson Antoine/Foto Arena/AE) de uma das intervenções:

Intervenção no Centro de São Paulo (Foto: Nelson Antoine/Foto Arena/AE)

Até aí tudo bem… achei uma iniciativa bacana deixar expostas as palavras “descanse”, “calma” e “relaxe”.

A instalação dos letreiros foi autorizada pois foi interpretada como um projeto artístico, passando pela Comissão de Proteção à Paisagem Urbana. De acordo com um representante do grupo BijaRi, a idéia da intervenção “Poesia Concreta” é fotografar a reação das pessoas estressadas em frente aos letreiros.

Segundo o G1, a prefeitura mandou retirar as instalações por que os autores não informaram que a obra seria utilizada numa campanha publicitária pela Natura, e acabaram infringindo a Lei Cidade Limpa. Para se defender, a empresa de cosméticos informou que o projeto tinha a aprovação da prefeitura sem a identificação dos patrocinadores e que apoia o projeto. Alegou também que vai editar um livro com o registro fotográfico dessas instalações.

A Natura admitiu ter usado essas três palavras, mas que não haveria familiaridade na tipografia utilizada. Além disso, o comercial estava sendo veiculado desde o dia 3 de maio, muito antes de os letreiros serem instalados.

A Comissão de Proteção à Paisagem Urbana sugeriu a criação de um conselho de artistas para avaliar as propostas de intervenção urbana em São Paulo, por que assim ficaria mais fácil de identificar um trabalho artístico de uma tentativa de driblar a Lei Cidade Limpa.

– – – –

Na minha opinião… acho que o intenção do projeto “Poesia Concreta” é super válido, questiona o modo de vida contemporâneo. Faz com que você pare e reflita sobre o seu dia, independente de ser uma ação publicitária ou não. Mas não sei se ele perde valor ao ser ligado a uma ação publicitária.

E aí? O que você acha sobre isso?

Referências:
G1 – aqui e aqui
Meio & Mensagem – aqui

  • As empresas estão utilizando meios culturais para poder fazer propaganda, por enquanto esta de bom gosto o problema será quando isso virar várzea.

  • Thabata

    Acho que esta é uma questão delicada. No meu ponto de vista, esse tipo de intervenção urbana (que eu gosto de chamar de arte de paisagem) é um meio muito válido de chamar atenção das pessoas… no geral estamos todos sempre presos nos nossos mundinhos, nosso torpor cotidiano, e quando nos deparamos com uma intervenção destas a gente acorda, nem que seja por alguns minutos, paramos para refletir.
    Esse lado positivo é independente de ser publicidade ou não.
    Agora, o problema é a banalização do conceito, que faz com que a intervenção perca seu caráter espontâneo… aí vira “só mais uma propaganda”. Acho que a iniciativa privada deve patrocinar a arte (ou não haveria muita arte por aí), mas tem que ter uma certa distância entre a arte dita, e a mera divulgação da empresa.